Mantida condenação de homem por atropelamento

Advogado de Trânsito no Rio de Janeiro (RJ) divulga notícia sobre indenização por danos morais por atropelamento

A 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES) manteve em R$ 15 mil o valor da indenização por danos morais que o proprietário de uma motocicleta envolvida em acidente deverá pagar aos pais da vítima. No momento do acidente, a moto era pilotada por menor de idade, que invadiu o acostamento em alta velocidade, atropelando uma jovem de 29 anos, que foi a óbito.

Além disso, o proprietário da motocicleta deverá pagar aos pais da vítima pensão mensal equivalente a um terço do salário mínimo vigente, até a data em que a jovem completaria 65 anos de idade. A pensão por morte é devida desde a data do óbito, ocorrido em 11 de agosto de 2010, em Muniz Freire. O réu ainda irá arcar com a quantia de R$ 1,2 mil, a título de indenização por danos materiais. Os valores serão corrigidos monetariamente e acrescidos de juros.

A decisão unânime, publicada no Diário da Justiça Eletrônico (e-diário) desta terça-feira, 02, foi proferida no julgamento da Apelação Cível nº 00010446-31.2011.8.08.0037. Segundo os autos, o menor de idade foi acolhido pelo proprietário da motocicleta, que o alimentava e permitiu que o jovem se estabelecesse em uma tulha próxima à sua casa. Os autos apontam, ainda, que o menor ajudava o homem na lida com o café e tinha acesso irrestrito à motocicleta, que estaria sempre com a chave na ignição.

Para o relator da Apelação Cível, desembargador Ewerton Schwab Pinto Júnior, a culpa do homem “ficou evidenciada por sua conduta comissiva e omissiva ao permitir que o adolescente imperito pilotasse sua motocicleta, deixando-a à sua disposição, mantendo inclusive, imprudentemente, a chave sempre na ignição”, afirma o relator em seu voto.

O relator ainda destaca que “a perda de ente querido é causa de abalo moral e intensa dor aos familiares, em particular para os mais próximos, e, se resulta de ato de imprudência do condutor de veículo no trânsito, gera o dever de indenização por danos morais em favor dos parentes da vítima”. O relator foi acompanhado pelos demais membros do Colegiado.

Fonte: TJES

Tags: Trânsito, Atropelamento, Indenização por Atropelamento, Acidente de Trânsito, Indenização por Danos Morais por Atropelamento, Advogado de Trânsito no Rio de Janeiro, Advogado de Trânsito no RJ

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Salari Advogados

Leia mais artigos em nosso blog

Telefones para contato:

(21) 3594-4000 (Fixo)

(21) 96577-4000 (WhatsApp)

E-mail: [email protected]

Facebook | Instagram YouTube

Endereço: Rua da Quitanda, nº 19, sala 414 – Centro (esquina com a Rua da Assembléia, próximo à estação de metrô da Carioca).

Dr. Rodrigo Costa

Sócio-fundador do escritório Salari Advogados; delegado de prerrogativas e membro do Comitê de Celeridade Processual da OAB/RJ; especialista em Direito Público e Privado pela Cândido Mendes; advogado colunista e convidado da rádio Bandeirantes - Bandnews; membro efetivo e convidado do programa de rádio e websérie Direitos e Deveres; colunista e especialista em Direito, convidado dos jornais O Globo e Extra.

Deixe um comentário