Guardas municipais podem aplicar multas de trânsito

Advogado de Trânsito no Rio de Janeiro (RJ) divulga notícia sobre aplicação de multas de trânsito por guardas municipais

Advogado de trânsito no Rio de Janeiro ---1

O Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou as guardas municipais a fiscalizar o trânsito e impor multas a infratores. Os ministros entenderam que os municípios podem exercer poder de polícia, por determinação do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). A decisão foi dada em recurso com repercussão geral e deve ser seguida pelas instâncias inferiores.

A matéria chegou ao STF por meio de um recurso do Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG). Para o órgão, a atuação da guarda municipal usurparia atribuições da Polícia Militar e poderia caracterizar quebra do princípio federativo. Segundo o MP, a Lei municipal n° 9.319, de 2007, que instituiu o Estatuto da Guarda Municipal de Belo Horizonte, e o decreto que o regulamenta desrespeitaram o artigo 144 da Constituição.

Na segunda instância, o Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais (TJ-MG) julgou improcedente a ação direta de inconstitucionalidade proposta pelo MP. Para os desembargadores, o município tem competência para fiscalizar o trânsito. Esse também foi o entendimento do STF.

O julgamento foi suspenso em maio, empatado. Na sessão de ontem, o desempate coube ao ministro Gilmar Mendes, que foi o último a votar. Tanto o voto do relator quanto o divergente eram favoráveis à fiscalização de trânsito pela guarda municipal. Mas o voto divergente, do ministro Luís Roberto Barroso, que prevaleceu no julgamento, era mais abrangente.

Para Barroso, a guarda municipal tem competência legítima para fiscalizar e aplicar penalidades, e não precisa estar restrita à proteção de bens e equipamentos públicos. De acordo com o ministro, a questão não é de segurança pública, mas de poder de polícia de trânsito, que poderia ser exercido pelo município, por previsão no Código de Trânsito Brasileiro.

O relator, ministro Marco Aurélio, também considerou ser possível à guarda municipal fiscalizar e emitir multas. Mas, para ele, a atuação deveria restringir-se ao controle do trânsito nos casos em que há conexão entre a atividade e a proteção de bens, serviços e equipamentos municipais.

Em seu voto, o relator havia citado o parágrafo 8° do artigo 144 da Constituição Federal, pelo qual os municípios podem constituir guardas municipais para sua proteção. Porém, de acordo com o magistrado, não se extrai do artigo que a Polícia Militar tem competência exclusiva na autuação e aplicação de multas de trânsito.

Fonte: Valor Econômico

Tags: Trânsito, Direito de Trânsito, Guarda Municipal, Multas de Trânsito, Advogado de Trânsito RJ, Advogado de Trânsito no Rio de Janeiro

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *